sábado, 17 de junho de 2017

ATAQUE AO CAIXA ELETRÔNICO BRADESCO NO LARGO DO JACARÉ - BANDIDAGEM DE SÃO PAULO FAZ A FESTA NO RIO DE JANEIRO


CRIMINOSOS AGIRAM TRANQUILAMENTE - FECHARAM VIAS DE ACESSO AO LOCAL - COLOCARAM CINCO CARGAS DE EXPLOSIVOS - MANDARAM A AGÊNCIA DO BRADESCO PELOS ARES - ROUBARAM O QUE QUISERAM - SOLTARAM FOGOS EM COMEMORAÇÃO - FORAM EMBORA SEM SER MOLESTADOS.

A ação do GRUPO DE CRIMINOSOS de São Paulo durou aproximadamente 10 minutos. 

Cerca de 30 homens, fortemente armados, ocupando vários veículos, chegaram ao Largo do Jacaré, subúrbio do Grande Méier, área de policiamento de responsabilidade do 3o. Batalhão de Policia Militar. Anunciaram quem eram aos gritos, e partiram para a ação criminosa claramente bem planejada. Os bandidos fecharam as vias de acesso ao LARGO, ocupando a rua LINO TEIXEIRA e a descida do Viaduto do Túnel Rosa.

Os únicos tiros disparados na ação foram contra um carro, cujo motorista apavorado tentou fugir do local. Interceptado pelos criminosos, o homem nada sofreu, e ficou quieto no carro, após ser avisado pelos criminosos que o objetivo deles era apenas o ASSALTO ao Caixa Eletrônico.

TUDO PELOS ARES, em estrondo que pode ser ouvido a quilômetros de distância, era madrugada, por volta das 02:40 minutos de sexta-feira, dia 16/06, o BANDO recolheu o DINHEIRO, soltou fogos para comemorar, todos entraram nos carros e foram embora.

A POLÍCIA MILITAR chegou ao local quando os bandidos já estavam longe.

ANÁLISE DO FATO

TALVEZ TENHA SIDO MELHOR MESMO A POLÍCIA NEM CHEGAR AO LOCAL.

Uma patrulha com dois Policiais ? Duas patrulhas ? Para enfrentar 30 CRIMINOSOS ?

O caso revela como a cidade está abandonada em termos de policiamento ostensivo, preventivo. 

Como o aparato de policiamento está desmantelado e sem planejamento.

Do QUARTEL do 3o. BPM no Méier, ATÉ O LOCAL DO CRIME, de madrugada, sem trânsito algum, os policiais chegariam até o largo do Jacaré (4 km de distância) em CINCO MINUTOS, SETE MINUTOS no máximo. 

Mas, havia efetivo de prontidão no quartel para isso ? Quantas viaturas em patrulhamento nas ruas, poderiam chegar ao local a tempo e em condições de abortar o crime e efetivamente fazer frente aos criminosos ?

Como um COMBOIO de vários carros com criminosos circula pelas ruas da cidade, sem ser abordado pela Polícia ? 

Resposta simples: Não há policiamento em quantidade suficiente e em posicionamento estratégico. 

sábado, 6 de maio de 2017

MORTE NO GASÔMETRO - PM É BALEADO NO VIADUTO EM DIREÇÃO À PONTE RIO-NITERÓI

POLICIAL ESTAVA DE FOLGA E TERIA REAGIDO À TENTATIVA DE ASSALTO

O crime ocorreu no sentido Ponte Rio-Niterói, próximo ao acesso para a via expressa. 

O sargento da Polícia Militar, Marcos Braz de Moraes, lotado no Palácio Guanabara, foi morto ontem à noite com um tiro nas costas, quando passava pelo Viaduto do Gasômetro, Zona Portuária da Cidade do Rio de Janeiro. 

O crime ocorreu no sentido Ponte Rio-Niterói, e segundo as primeira informações, o policial que estava de folga, foi atacado por criminosos armados, que também estariam utilizando uma moto.

Houve troca de tiros e o policial foi atingido nas costas, morrendo no local, sem nem mesmo a tempo de ser socorrido. OS CRIMINOSOS FUGIRAM SEM NADA LEVAR DA VÍTIMA.

A hipótese inicial é que ele foi vítima de uma tentativa de assalto naquele trecho do Viaduto do Gasômetro. A Delegacia de Homicídios está investigando as circunstâncias do crime, e vai levantar imagens de câmeras de segurança.

O local onde o crime se deu é de grande movimentação, e deveria contar com uma ação ostensiva de policiamento. São constantes as ações de criminosos ali, inclusive com notícias de arrastões nas proximidades.

ESTATÍSTICA CRUEL

O sargento Marcos Braz, é o 64o. PM morto no Rio de Janeiro durante os 126 dias do ano de 2017. A média é de um policial morto a cada dois dias.

Como aceitar uma situação dessas, com tamanha indiferença por parte das autoridades, e com essa passividade por parte da população e dos próprios membros da corporação ?

PRESO PM QUE ESCOLTAVA MAIOR TRAFICANTE DE ARMAS DO RIO DE JANEIRO

    O PIOR DOS BANDIDOS    


De uma só vez, a Polícia Civil do Rio - 39a. DP - PAVUNA - Zona Norte da Cidade, prendeu o soldado PM da Unidade de Polícia Pacificadora da Vila Cruzeiro, na Penha, Vinícius dos Santos, e Paulo César Oliveira, conhecido no meio do crime como "Índio". Segundo a polícia, "índio" é o principal fornecedor de armas e munições para bandidos do Rio de Janeiro, e estava foragido do sistema penal, condenado há mais de 20 anos de prisão por homicídio e roubo.

O PM fazia a escolta do traficante, levando farta MUNIÇÃO para pistola e fuzil.

A dupla foi abordada por policiais da 39a. DP, e o veículo revistado, sendo a munição, que está avaliada em aproximadamente R$ 18 mil, encontrada no porta-malas do veículo. O PM tentou intimidar os policiais, mostrando sua identificação, mas, como a dupla já vinha sendo investigada, não logrou êxito em escapar.

A PM divulgou nota dizendo que repudia a atuação do policial, e que ele não representa a corporação.

De fato, um Policial que ajuda a ARMAR e MUNICIAR criminosos, pode ser considerado o pior inimigo de outros policiais e da sociedade.

O TRAFICANTE DE ARMAS ÍNDIO volta para a cadeia onde vai cumprir o restante de sua pena, agora com o agravante da FUGA e da nova acusação, e o PM, vai responder a INQUÉRITO, se comprovada sua culpa será expulso da corporação e vai pegar uma condenação por por porte ilegal de munição.


Tudo indica que eles levariam as "balas" para o tráfico da Vila Cruzeiro.